ETM Integrar para Construir

Caminhos do não-conflito para integrar e construir: palavras do fundador da ETM, Mauricio Graeff

Para criar projetos, estabelecer vínculos e cooperar com parceiros são fundamentais a harmonia e o respeito mútuo. Há mais de 40 anos, a ETM construiu sua trajetória com um espírito conciliador. O diálogo é uma das ferramentas transformadoras utilizadas para cumprir o propósito de realizar obras e, sobretudo, construir relações de duradouras.
Esses valores ficam evidenciados nas palavras do fundador da ETM, Mauricio Graeff, sobre conflitos e seus impactos para empresas e sociedade. Tomo a liberdade de compartilhar alguns insights, para que você possa conhecer um pouco melhor a ETM e sua essência integradora.

Palavras do Mauricio:

– “O conflito nas empresas também surge com as barreiras, físicas ou não, os departamentos, os cargos, os organogramas, as salas fechadas, os centros de poder, as bolhas de conhecimento. Cada um buscando a sua auto-sustentação e, com isso, o seu isolamento.”

– “É preciso discutir o conflito nas empresas com objetividade e, acima de tudo, maturidade. Ao enfrentar seus conflitos internos, é possível pensar na construção de relações de cooperação com seus clientes. Sem olhar para dentro, não se constrói nada para fora.”

– “As lideranças possuem um papel fundamental no processo educativo. Precisam criar esse espaço no dia-a-dia com suas equipes. Além da preocupação com a produtividade, com a segurança das pessoas, precisam cuidar do ambiente, estarem atentos para potenciais conflitos e, prontamente, agirem.”

– “Com fornecedores e clientes o princípio é o mesmo: é preciso a criação de um ambiente de respeito. A partir daí, mesmo uma discussão contratual, já acontece em um outro nível, com um espírito de amigabilidade, e não de litígio.

– “Não vejo nada de produtivo num conflito. Conflito não é divergência. Divergir é bom, não se pode confundir as coisas. É com a diversidade que se cresce. Conflito é quando tem prejuízos, danos.”